15 de março de 2010

Bem, e agora tenho de ir fazer uma coisa mesmo fantástica e espectacular

cromatograma genérico de reversed-phase HPLC com os seus picos (tirado da wikipédia)


Que é tirar as áreas aos picos de HPLC, um a um, porque apesar de ser mesmo fantástica e espectacular ainda não consegui perceber como programar aquilo para os calcular automaticamente.

20 comentários:

  1. E a propósito do teu post anterior inspirei-me a falar do meu fds espectacular... LOLOLOL

    Beijos

    Rita

    ResponderEliminar
  2. Olha... eu não sou minimamente fantástica nem espectacular... quer dizer, devo ser fantasticamente ignorante... o que são picos de HPLC?? Lol!

    Boa sorte com esse trabalho!

    ResponderEliminar
  3. googlem... (muahahhaha riso maléfico)

    ResponderEliminar
  4. Ahahaha és tããão fantasticamente simpática! :p

    (kidding)

    ResponderEliminar
  5. calcula-los automaticamente e exportá-los para o excel também dava jeito, ou não?

    já fiz muito disso

    ResponderEliminar
  6. pois, mas infelizmente sempre que tentei fazer a coisa automaticamente aparaciam-me 400 picos que não me interessavam para nada, de modo que continuo a definir os picos de interesse um a um. talvez um dia consiga programar a exportação automática como deve de ser.

    ResponderEliminar
  7. Ui onde te vais meter! LOL ;) HPLC é o terror :D *

    ResponderEliminar
  8. Se te aparecem 400 picos, é porque tens o threshold do noise (ou da sensibiidade) mal definido para o cálculo dos picos. Vê lá os settings do cálculo. Deves ter um valor de ruído estipulado para o cálculo muito inferior ao que desejas. Tenta aumentar o ruido ou diminuir a sensibilidade (dependendo do que te aparecer nos settings). Outra coisa é o timeline a que desejas que o cálculo comece (não sei qual é o teu software, nem qual o sistema). Mas podes estar a calcular picos logo a partir da injecção (logo contabiliza-te toda a porcaria causa sada pela injecção e pelo solvente da amostra) nos primeiros segundos. Define um delay para o cálculo um minuto após a injecção (se os teus RT, ed tempo de coluna te deixarem)
    De qualquer modo, o cálculo manual sempre te garante uma fiabilidade no cálculo, no caso de teres baselines menos ortodoxas. Mas se o trabalho é standard o automático é para ser usado (dá sempre uma checkada às baselines primeiro).

    ResponderEliminar
  9. nao tem a ver com ruído. eu é que não consigo exportar apenas o pico dos 17 minutos, que é o que me interessa, a aparecem todos quando faço a cena automática. anyway, como muitos estão perto do limite de detecção, acaba por ser mais seguro ser eu a defini-los, embora definitivamente mais chato e moroso.

    ResponderEliminar
  10. Normalmente podes definir "integration on e off" apenas na zona onde tens os picos que te interessam-

    ResponderEliminar
  11. pois, eu também acho que sim, mas infelizmente não sou suficientemente espectacular para conseguir que o programa realise todos os meus desejos e é por isso mesmo que me estava a queixar. e provavelmente, irei descobrir como se faz duas semanas antes de acabar o doutoramento.

    ResponderEliminar
  12. Decididamente vou ao Google translate LOL

    ResponderEliminar
  13. Não é preciso: basta pôr HPLC no google e fazer I feel lucky.

    ResponderEliminar
  14. errata: realize, e não realise. vida de emigra é lixada.

    ResponderEliminar
  15. Guerreira Luna, sempre a tentar ser perfeccionista. Hawk eye.

    aquele abraço,

    ResponderEliminar
  16. Subtrais o fundo, fazes uma interpolação e usas o método de Monte-Carlo para calcular a área. Deve funcionar...

    ResponderEliminar
  17. Fixe! assim posso tar a ler o blogue e a dar um ar de intelectual aki no trabalho ao mm tempo..lolol

    ResponderEliminar