22 de março de 2010

No fundo, aquilo que nós todos já suspeitávamos

A fascinating study published in the current issue of Science helps fill in a bit of the picture, drawing evidence from that research-friendly fellow mammal, the mouse. The authors, a team from State University of New York Downstate Medical Center, wanted to look at whether the ability to learn is affected by changes in brain chemistry that occur at puberty. They devised a relatively complex task (at least for a mouse) that requires learning how to avoid a moving platform that delivers a very mild shock.

"This is higher-order learning and it takes multiple trials to learn," explains Sheryl Smith, professor of physiology and pharmacology at Downstate. Prepubescent mice mastered the task quickly. Post-pubescent mice also did quite well. But mice in the throes of puberty, which occurs at age five weeks, couldn't seem to get it through their furry little heads.

in Does puberty make you stupid?

17 comentários:

  1. Ora, isto explica muita coisa!!
    Especialmente proque eu tenho cá para comigo que a grande maioria dos homens (homo sapiens sapiens) nunca ultrapassa a puberdade...ou tem crises de adolescencia retardas recorrentemente....

    ResponderEliminar
  2. se explica carrie... já se suspeitava...

    http://veridicoblog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Por acaso já tinha visto isso num documentário que deu aqui há uns anos. Isso explica muita coisa, como disse a Carrie ;)

    ResponderEliminar
  4. Doce Luna, solte todos os esqueletos que tem no armário, do tempo da sua puberdade. Mas não generalize, quando se tenta auto retratar.

    Aquele abraço,

    ResponderEliminar
  5. Maldita plataforma ali à entrada pah! Damn it!!!!!!




    Taditos dos ratos. Era necessário testar isso nos desgraçados?

    Na puberdade andava um gajo ainda na divisão do Inatel e já onde elas iam.... lá longe, lá longe. Diâmetro de cabeça sim, imenso! Em alguns casos excedia os próprios ombros. Pfiuuu, já me bastou passar por lá uma vez. Elas suspiravam pelos mais velhos, os já adolescentes... e nós, os bacocos ali com o corpinho a transpirar hormonas. Aqueles sacanas! Alguns já com barba, e nós... os idiotas do buço, ora, dava para a estupidez. O problema é que alguns parece que gostaram. Eu não.


    Bom, agora à saída... plataforma de novo. Bzzzt! Bzzzzzt!

    :)

    ResponderEliminar
  6. Serão ratos com 5 semanas equivalentes científicos de adolescentes em plena puberdade?!? Não me parece... Estarão com toda a certeza bastante à frente da maioria dos putos! ;)

    ResponderEliminar
  7. Pequeno Homem
    ou como comentar um estudo científico interessantíssimo publicado na Science com a maturidade de "quem diz é quem é, lava a cara com chulé".
    A inteligência, o brilhantismo, a originalidade... oh well...

    ResponderEliminar
  8. Eheheheheh, começou...
    O que eu adoro este blogue! Queria à bruta que o meu fosse assim, mas não consigo!

    ResponderEliminar
  9. Minha querida, não começou, acabou. A não ser que queiras "take over". Eu tenho mais que fazer. Muito mais mesmo.

    ResponderEliminar
  10. http://3.bp.blogspot.com/_2iIo30Tj3bw/S6iSWF5EqhI/AAAAAAAAJbw/u6uoVitOaRI/s1600-h/tumblr_kz8r6uEV8Z1qabgb9o1_500.jpg

    ResponderEliminar
  11. Repara, gaja... tu tens esse poder! Não queres, mas atrais. Que raio se passa contigo? Escreves a coisa mais simples do mundo e cai-te gente vinda sei lá donde para te chatear... Eu tenho a impressão que esta gente se inscreve no blogger e cria um perfil só para te chatear, vê lá!
    Caramba, que sortuda!

    ResponderEliminar
  12. Curiosamente, Luna, NÃO HÁ uma única palavra tua em todo o post.

    A Capitú tem razão. You've got the power. :)

    ResponderEliminar
  13. publicado na Science e transposto para aqui por si, seja lá porque razão fôr.

    Aquele abraço,

    ResponderEliminar
  14. Porque achei graça ao facto da capacidade de aprendizagem nos adolescentes ser de facto limitada e altamente condicionada por stress - coisa que o senso comum já fazia suspeitar?

    Por ser no geral uma pessoa com curiosidade científica?

    Melhor: por ser cientista?

    Oh, não, já sei, muito mais à frente: porque o artigo científico despertou todos os meus traumas púberes relativamente a choques eléctricos dentro de gaiolas... sim, faz muito mais sentido esta razão.

    Palminhas e aquele abraço para si também. É sempre um prazer brincar consigo.

    ResponderEliminar
  15. Uhhhhhhhhhhhh... sinto um calorzinho no ar! Olha os namorados, solteiros e casados... nhanhanhanha nhanha

    ResponderEliminar