3 de junho de 2010

E as irmãs Brontë?

Anne, Emily e Charlotte

14 comentários:

  1. very good blog, congratulations
    regard from Reus Catalonia
    thank you

    ResponderEliminar
  2. Deve ser tudo coincidência e apenas influência do meio... não, a genética não tem nadinha a ver com isso. :)

    ResponderEliminar
  3. E os Strauss.

    Há imensos exemplos deste género. Não sei porque é que é tão difícil acreditar que não só existe influência do meio no desenvimento de aptidões, como genética, que dota as pessoas de certas capacidades inatas.

    ResponderEliminar
  4. Está aqui a fazer falta um advogado do Diabo: mas que raio prova a eminência artística ou científica de uma prole de irmãos que tenha imediatamente a ver com a genes e não com oportunidades (educação)? Não é verdade que sendo irmãos terão provavelmente tido educação semelhante? E não é também verdade que dentro de uma mesma família é natural que uns puxem pelos outros, inclusive através de gerações, que os pais que se notabilizaram em determinadas áreas puxem pelos filhos nas mesmas áreas?
    Mas por outro lado, os exemplos dados distinguem-se precisamente pelo seu carácter excepcional. Ou seja, é muito mais fácil encontrar irmãos ou pais/filhos com aptidões completamente diferentes e por vezes mesmo opostas do que o contrário. Todos nós sabemos mesmo de casos extremos, daqueles em que não se pode dizer "tal pai tal filho", e irmãos com sortes na vida completamente diferente, a começar pela sorte nos seus resultados escolares.
    Não é que eu ache que os genes não contam para nada, mas parece-me que a dona deste blogue (do qual eu gosto muito, inclusive a parte velocipédica) se excede um pouquinho no entusiasmo eugénico.
    Saudações

    ResponderEliminar
  5. Eu cá acho que isso de se achar que a genética não tem influência em nada também é uma questão de genética. E de hipocrisia. Mas isso sou eu a falar...

    ResponderEliminar
  6. Meu caro

    estou cansada, estou farta, acho que já me repeti demasiadamente para continuar a explicar o bâ-á-bá. Pensem pela vossa cabecinha e tirem as conclusões que quiserem, mesmo que sejam as erradas, quero lá saber.

    Digo apenas que a variabilidade genética - devida á possibilidade de quatro combinações diferentes por gene - é muito maior no mesmo agregado familiar do que as oportunidades que são dadas aos seus membros. Tirando em casos excepcionais, são dadas oportunidades iguais aos irmãos, pelo que se dependesse apenas dos factores ambientais, todos teriam as mesmas apetências e talentos. Já o elemento genético depende de probabilidades.

    Mas enfim, já disse que acho que ambos os factores são importantes quatrocentas vezes, pelo que I rest my case.

    Querem continuar a pensar que o usain bolt só corre assim por causa do treino? sim senhora, é isoo mesmo, se treinassem o mesmo também corriam à mesma velocidade.

    beijinhos e boa noite

    ResponderEliminar
  7. http://www.youtube.com/watch?v=arD374MFk4w&feature=player_embedded

    Se não é genético, é milagre.

    ResponderEliminar
  8. Já agora, quanto ao Usain Bolt, acho que corre assim porque conseguiu disfarçar as bombas que toma. Dou-lhe até mais 5 ou 6anitos para descobrirem o doping, como foi com o Ben Johnson. Mas sabe-se lá, pode ser que escape.

    Ah, eu também acho que as duas coisas são importantes, mas valorizo aquela em que nós, humanos, podemos influir para melhorar o mundo. A outra é como jogar no casino, e não é bom deixar que seja o casino a decidir as nossas vidas como se viu na recente crise do subprime.
    Claro, em breve estaremos aptos a influir nos genes também, mas essa já é outra questão.

    ResponderEliminar
  9. A foto do profile da guerreira Luna, tem parecenças com a rapariga da esquerda, na foto!

    Que coincidência!

    Aquele abraço,

    ResponderEliminar
  10. Consta que o irmão delas, Branwell, teve uma educação mais cuidada, as expectativas de brilhantismo estavam nele. E quem ficou para a História? Pois é... Tanto quanto percebi, ele próprio reconhecia que não tinha a genialidade das irmãs.
    Este acaba por ser um exemplo interessante de como nem sempre a educação determina o sucesso.

    Se bem que também pode ser um quadro psicológico complexo, pois ele não era propriamente burro, e pode ser mais uma incapacidade de lidar com as expectativas da família que outra coisa...

    ResponderEliminar
  11. Exacto. Aliás, este retrato foi pintado por ele, e seria um retrato de família, do qual ele apagou a sua figura propositadamente.

    ResponderEliminar
  12. Aí atrás, entre Emily e Charlotte, nessa espécie de mancha, é que estava o retrato do irmão.

    ResponderEliminar