15 de outubro de 2012

E pessoas que precisem?

Há um programa do TLC em que pegam no guarda-roupa de uma pessoa que precisa de restyling, onde em vez de simplesmente porem as peças indesejáveis num contentor para doar, as destroem em farrapos.

Desde pequena que todas as minhas roupas em condições, que simplesmente deixaram de me servir, foram doadas a quem quem precisa. A cada estação havia uma avaliação do que servia e não, do que estava em condições ou não para dar, e lá se fazia a divisão. E como tal, sempre que vejo esta destruição de roupas só porque sim, porque não são fashion, penso sempre que poderiam servir a alguém, alguém que precisa e sem obrigações fashionistas.

Porque há quem precise de roupa para vestir, e nestes programas destrói se roupa que poderia vir a  agasalhar alguém, especialmente num país com milhares de sem-abrigo. E só porque não estão na moda.

26 comentários:

  1. é um mundinho de merda, Luna. quem nao tem roupa pra vestir merece morrer, pq só dá trabalho e despesas aos Estados.

    ResponderEliminar
  2. É daquelas coisas de total falta de consciência social que não se entende, como se fosse normal destruir roupa. Ainda menos numa televisão, que mesmo sendo 100% comercial, não lhe caiam os parentes na lama se fosse mais humana.

    ResponderEliminar
  3. Mac

    tenho aqui ao pé de casa um contentor da cruz vermelha, para deixar roupa ou cobertores, etc. Todos os anos revejo a roupa que uso e me serve (e está em condições), e ponho no contentor.
    E desde pequena que é assim na minha casa em PT, e doamos para aldeia SOS.
    Simplesmente nunca fomos capazes de deitar fora roupa boa - isto é, não andamos a dar roupa rota ou com manchas, falamos de roupa impecável - e todos os e o anos a minha mae fazia uma selecção do que já nao me servia, mas estava bom.
    Mas deitar fora roupas que estao boas, faz-me confusão, pq sei que há quem precise.

    ResponderEliminar
  4. Concordo inteiramente, Ana Luísa.
    Ainda por cima com a tua estatura são roupas que vão servir a crianças.

    ps: tiveste saudades? :-)

    ResponderEliminar
  5. Pedro Almeida

    de facto, aqui na holanda, o mais provavel é que as roupas que deixo na cruz vermelha sejam para crianças. E muito bem. Espero que sejam aproveitadas por quem precise.

    ResponderEliminar
  6. Exactamente, Luna, em casa dos meus pais também fomos habituados a dar tudo quanto está em boas condições e já não queremos, agora na minha continua assim, não se deita fora, a não ser que não sirva para nada.

    E muita da roupa, principalmente das crianças, passa de primos em primos. Ainda a semana passada vieram uma data de t-shirts de um dos primos para o mais velho daqui e já foram roupas que já não servem ao mais pequeno, e as que sobram em condições, passam de irmão para irmão. Troca-se muito nesta família, sempre foi assim. Mas as roupas das crianças que já não dá para trocar e as dos adultos, dão-se.

    Há sempre tanto quem precisa de receber, nem é preciso procurar muito.

    ResponderEliminar
  7. O programa é muito bom, mas deviam dar as roupinhas.

    ResponderEliminar
  8. Detesto esses desperdícios. É uma insensibilidade para com quem precisa e desconsideração para com o ambiente. Recentemente andei a reorganizar o armário a fundo e o que não ficou para primas e amigas foi doado a famílias necessitadas e instituições. Tudo em bom estado, claro. Não custa nada!

    ResponderEliminar
  9. Exacto, Mac

    e da minha geração fui a mais nova, e herdei muita coisa dos outros mais velhos. Mas sendo eu a mais nova, a certa altura eu era o elo final, e como tal, a minha mãe pegava no que estava bom e doava a instituições. E sempre o fez. A cada ano via o que já não me servia mas estava bom, e doava. E como andei num colégio onde usava farda dos 6 aos 14 anos, a maioria das minhas roupas estavam sempre como novas, porque só eram usadas aos fins de semana.

    ResponderEliminar
  10. Por acaso agora que penso nisso é pra dar um ar dramatico à coisa, tipo é tao mau que vamos deitar fora... palhaçada televisiva...

    ResponderEliminar
  11. É o problema de não existir consciência social, por isso me farto de repetir que a pior crise que estamos a viver é a crise de valores! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  12. Vi a apresentação desse programa e até me arrepiei quando os vi a retalhar a roupa. Lá por casa fazemos o mesmo: triagem e dá-se. Até t-shirts velhas que estão imprestáveis são aproveitadas para trapos. A minha avó, pessoa de outros tempos e que passou por duas guerras (civil de Espanha e II mundial) aproveitava tudo, cheguei a ter uma camisa de noite feita de um vestido que ela desmanchou e refez. E sacos do pão, a minha vó fazia sacos de pão e pegas de cozinha de panos. Já não vou tão longe (falta de jeito), mas lá por casa não se desperdiça nada.

    ResponderEliminar
  13. O TLC é a demonstração do lixo da sociedade americana...

    ResponderEliminar
  14. É preferível andar nu e com frio do que fora de moda.

    (Não sei qual é o programa em questão, mas sempre me fez confusão ver os 'stylists' deitar fora quase um armário inteiro de roupa que as pessoas foram comprando ao longo de anos para substituir com meia dúzia de peças que quanto muito chegam para fazer combinações para 4 dias diferentes.)

    ResponderEliminar
  15. Os programas do TLC é que deveriam ir para o destruidor de lixo.

    ResponderEliminar
  16. Eu também dou muita roupa minha, que está em condições, assim como roupa dos meus filhos. E brinquedos deles também, na altura do Natal depositamos sempre brinquedos no Brinquedão da escola, que depois serão entregues a instituições. Tento sempre fazer a escolha tanto das roupas e sapatos, como dos brinquedos, com os meus filhos, é importante que eles sintam aquele gostinho bom que se gera quando ajudamos alguém, e também que saibam que hoje damos mas amanhã podemos precisar de receber, não lhes faz mal nenhum conhecer os dois lados da história...

    ResponderEliminar
  17. É ridículo Luna!Mas aparece na televisão e toda a gente acha muito bem.

    ResponderEliminar
  18. Se for o que eu estou a pensar, acredito que aquilo da roupa no lixo é apenas a "mensagem", espero bem que não deitem aquilo fora, porque seria uma parvoíce de todo o tamanho.
    Eu sou muito hamster, guardo tudo, mas este ano já fiz a doação da roupa a uma instituição de caridade, como, aliás, quase todos os anos.
    Uma amiga minha iniciou agora um projecto e tem uma loja onde podemos também levar a roupa que não queremos e a mesma é vendida por um valor simbólico - uma espécie de loja em segunda mão onde as pessoas que também dão a roupa recebem 10% do valor da "venda".

    ResponderEliminar
  19. Rosa Cueca

    estarás a falar do "what not to wear", onde de facto só põem a roupa nuns baldes. O programa de que estou a falar, e que consiste no marido da desgraçada que se veste mal renovar-lhe o guarda roupa, a roupa é literalmente destruída numa máquina a que chamam "schredinator".

    ResponderEliminar
  20. nunca deitei fora roupa.

    de t-shirts velhas, faço trapos, ali como a izzie.

    bj

    ResponderEliminar
  21. Tanta gente precisando e nego destrói o que, pra alguns, seria mais do que útil!

    ResponderEliminar
  22. Eles não deitam meeesmo a roupa fora. As pessoas ficam com ela na mesma. :)

    ResponderEliminar
  23. Inês M

    não no programa em que metem a roupa numa máquina que a corta aos bocados. os pedaços restantes são visíveis e estão cortados.

    ResponderEliminar
  24. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  25. Inês, sim, sou eu. Só vou apagar o comentário porque nao estou interessada na divulgação, sorry. :)

    ResponderEliminar