6 de Janeiro de 2014

Descubra as diferenças

Uma pessoa candidata-se a anúncios de emprego publicados na naturejobs para empresas multinacionais estrangeiras com milhares de empregados, e invariavelmente no espaço de 2 ou 3 dias recebe uma resposta personalizada, convidando para entrevista, ou recusando mas agradecendo a candidatura. 
Uma pessoa candidata-se a uma posição numa pequena empresa completamente desconhecida, que nem site oficial tem, só naquela de ver como é, por ter exactamente as muito específicas qualificações pedidas, e passado um mês nem ai nem ui. Pois, a pessoa dos recursos humanos deve estar muito ocupada para fazer o seu trabalho e responder aos milhentos mails de candidatura das aí 5 possíveis pessoas em Portugal com conhecimentos naquela área particular a candidatar-se à mesma posição.

20 comentários:

  1. Eu também tenho passado por isso. Acho que se pode contar pelos dedos de uma mão o número de respostas (positivas ou negativas) que eu tenho obtido por parte de empresas portuguesas. É que chega a um ponto em que a pessoa nem sabe se o concurso ainda está em aberto, se ainda estão a analisar candidaturas ou se já contrataram alguém! E as experiências mais positivas que tenho tido são, efectivamente, as de empresas no estrangeiro. Aquelas que, no meio das centenas de candidaturas que devem ter, arranjam cinco minutos para fazer copy/paste de um texto para enviar para os candidatos que não foram seleccionados para entrevista. Nós, cá, é que temos a mania que somos grandes e importantes..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto. Não percebo, mas acho uma péssima cultura e reveladora da mentalidade de quem presta esse serviço. Juro que até em candidaturas espontâneas directamente a group leaders tive respostas rapidíssimas, mas aqui o pessoal dos RH deve achar-se muito importante.

      Eliminar
    2. (eu nem estava particularmente interessada para já, mas uma pessoa depara com um anúncio de emprego que só falta ter lá o seu nome escrito e não resiste a concorrer.)

      Eliminar
    3. Olá Luna,
      A maioria das empresas principalmente de recrutamento, sendo elas de recrutamento especializado ou temporário, recebe constantemente imensas críticas, mas deixa-me apenas esclarecer alguns pontos.
      Existem muitos sites, tal como o trovit emprego que vai buscar anúncios inactivos, colocando-o no site como sendo anúncios actuais, levando os candidatos a enviar o currículo para uma vaga que esteve em aberto há vários meses, e acredita isto acontece com grande regularidade. Desta forma o que aconselho, é ver as oportunidades em sites de emprego como o Net-Empregos ou o Sapo Emprego.
      Acredita que todos os dias profissionais de RH recebem imensos currícula, não podendo dar resposta a todos, contactando apenas os candidatos com quem avançam para entrevista. As pessoas candidatam-se a ofertas sem lerem os anúncios, sem terem qualquer tipo de experiência nem nada de parecido (dou-te um exemplo muito simples, para um anúncio de Engenheiro de Montagem, recebe-se candidaturas de pessoas que trabalharam como lojistas, que apenas deram formação a vida toda, etc) entupindo as caixas de email's. Numa simples segunda-feira, um profissional de RH que trabalhe numa empresa de recrutamento é capaz de ter no email 500 candidaturas, sendo que talvez mais de metade não se enquandra em nada com o que é requerido.
      Os profissionais de recrutamento, não fazem apenas triagem curricular, tem mais tarefas e esse exercício é apenas 1/7 das tarefas diárias.

      A facilidade com que se responde a anúncios de emprego veio trazer alguns pontos prejudiciais. As pessoas candidatam-se só por candidatar, porque se lê o título e até se acha que se consegue fazer aquilo, porque olha não custa nada tentar, é só enviar um email, e nem se lê os requisitos, ou as características dos perfis, porque o iefp diz que tenho de enviar 5 candidaturas por semana. Acredito que se as pessoas realmente lessem os anúncios e se candidatassem quando o seu perfil se encaixa no requerido, talvez houvesse uma maior abertura para conseguir dar resposta a toda a gente.

      Eu compreendo a procura intensiva, o desespero de quem está desempregado e procura uma oportunidade.

      Mas também é necessário ter conhecimento de quem está do outro lado ;)

      Eliminar
    4. L, Portugal tem 10 milhões de habitantes 1 milhão de desempregados (mais coisa menos coisa), mais os que procuram melhores oportunidades.
      Se noutros países com bem mais gente as empresas conseguem dar resposta porque é que cá não se consegue? Desculpem, mas é uma coisa que não compreendo.
      Obviamente que ninguém está à espera de um e-mail personalizado a cada e-mail que envia mas existem formas de pelo menos enviar um e-mail automático de recepção das candidaturas.

      Eu SÓ respondo a ofertas do net-empregos e continuo sem resposta a 95% dos e-mails que envio. E quando tenho resposta, 90% dos empregos nada têm a ver com o que as empresas escreveram no anúncio.

      Já fui, inclusivé, contactada 4 vezes por centros do IEFP a pedir para enviar o meu CV para empresas (sem sequer ter visto o anúncio porque eles não o mostram) fui contactada uma vez e fui a entrevista, das outras duas nem e-mail de recepção recebi e a 4ª foi hoje.

      Pela minha experiência não existe RH em Portugal e o que existe é péssimo. Já trabalhei, já trabalhei para várias (grandes) empresas de GRH e de todas elas só tenho mal a dizer.

      Eliminar
    5. Vou dar só um exemplo. A primeira vez que respondi a um anúncio para o estrangeiro foi para uma grande empresa, neste caso para a sua sede na Alemanha. Em pouco tempo recebi um email do responsável de recursos humanos a pedir desculpa (!) porque, devido à quantidade de candidaturas que estavam a receber, iam demorar um pouco a analisar a minha candidatura. Passados uns dias (!) recebi outro email, desta feita já da pessoa responsável pela área. Posteriormente, quando foi a altura de saber se passava à fase seguinte, lá recebi o email do responsável dos recurso humanos a dizer que, infelizmente, eu não ia prosseguir. Isto tudo passou-se em meia dúzia de dias e estamos a falar de uma grande empresa, de uma multinacional. E acho que aqui se vê a chamada eficácia alemã... Acho que é tudo uma questão de haver organização, pessoal competente e, claro, em número suficiente para fazer o trabalho como deve ser.

      Em Portugal tenho exemplos que acho que chegam a ser cómicos de tão ridículos que são, como empresas que se recusam a considerar-me para uma entrevista sequer (em casos em que eu cumpro todos os requisitos, na minha área de formação e na qual tenho experiência) e preferem ter os anúncios publicados e as vagas por preencher meses durante meses a fio. Juro que me candidatei a uma destas vagas em Junho/Julho e hoje a empresa ainda tem o anúncio no seu site. E houve uma altura em que todos (mas mesmo todos) os dias publicavam um anúncio no NetEmpregos. Até podiam nem me contratar, mas, caramba, pelo menos chamavam-me para uma entrevista!

      Eliminar
    6. Mas Branca de Neve, não percebo, qual a diferença entre receber uma resposta automática e não receber email nenhum? O receber uma resposta automática não é sinónimo de que o seu cv está a ser analisado naquele momento. É só uma resposta automática. O facto de mencionar o exemplo do trovit, não quis dizer que toda a gente responde a esses anúncios, Foi uma forma de alertar!

      Sim há vários anúncios que acabam por não ser específicos, que não explicam as funções, anúncios que pedem pessoas polivalentes, que façam tudo e mais alguma coisa ganhando apenas o ordenado mínimo, mas muitas vezes esse tipo de anúncios vem de empresas muito pequenas, empresas que não tem um departamento de RH, para fazer definição de funções, desenvolvimento de carreira (e atenção não estou a dizer que é a regra poderá claro haver excepções).

      Quando se refere que o IEFP já a contactou para ofertas que não foram publicadas pelas empresas, é (e não estando a afirmar que é mesmo esta a razão) para evitar a recepção excessiva de currícula, de candidatos que não se encaixam de todo na posição requerida, optando por recorrer ao IEFP para fazer a pesquisa de candidatos no mercado, e apenas lhe enviarem candidatos que se encaixem no que procuram. O IEFP, funciona também como uma agência de recrutamento.

      Eliminar
    7. Exactamente como diz por "evitar a recepção excessiva" é que não me cabe na cabeça que quando sou chamada pelo IEFP a mandar um CV directamente para uma empresa pq eles não querem receber CV's em excesso não haja sequer uma resposta da empresa ao que eu lhes enviei. Eu perdi tempo, o IEFP perdeu tempo e dinheiro e no fim, às tantas nem existe a posição (como eu ouvi na entrevista: ainda não sabemos se vamos por a pessoa ou não, tem a ver com a empresa mãe blá-blá-blá).

      quanto aos (não) e-mails de resposta das empresas em Portugal, para mim, revelam a falta de educação, formação, respeito e profissionalismo que existe pelas pessoas que querem trabalhar/trabalham nas empresas.

      Eliminar
    8. Branca de Neve, continuo sem perceber qual a diferença entre receber um email automático de resposta e não receber email nenhum? Ajude-me a perceber qualo significado de recepção de um email automático? É um email automático, não vejo onde é que o facto de não se activar um email de resposta do Sapo Emprego, revela falta de educação, formação, respeito e profissionalismo, é um email automático!!!

      Eliminar
  2. passo-me com isso. isso e os anúncios nitidamente falsos. os anúncios para os estágios "curriculares" mais que ilegais e os anúncios que nem sabem o que querem (já nem tem conta as vezes que respondi a um anúncio para estágio profissional de marketing e acabei na entrevista a saber que o trabalho era para secretária).
    e não são só as pequenas e médias empresas, são também as grandes e até algumas multinacionais.
    o mundo laboral em Portugal é do mais sem escrúpulos que há e não, a culpa não é do governo (desta vez) é mesmo dos 'empresários' e chefias cá do burgo.

    ResponderEliminar
  3. Deixa lá, Luna!...

    Uma pequena empresa completamente desconhecida, que nem site oficial tem, como tu disseste, não pode ser uma aposta em que valha a pena perder muito tempo ou cansar a nossa beleza com esta. E aqui e agora em Portugal ainda menos...

    ResponderEliminar
  4. eu falo por mim, e na experiência numa empresa pequena, em que na realidade não havia uma pessoa de recursos humanos e eu não tinha tempo para tudo quanto mais para dar essa resposta. e tal não era considerado uma prioridade para a administração, porque não dava dinheiro, e muitas vezes ficava mesmo por responder.

    de qualquer forma, não acho que um envio de cv ou candidatura tenha sempre que ter uma resposta (negativa). a não ser que me garantam que dão resposta (após entrevista, por ex) e aí é mesmo obrigatório fazê-lo, claro.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. diria que 95% das candidaturas que envio ficam sem resposta,o que sem dúvida me aborrece bastante,mas até compreendo.agora,quando sou chamada para uma entrevista,por parte de uma grande empresa de recursos humanos,e me garantem VÁRIAS vezes que os candidatos não selecionados serão avisados por mail no dia seguinte..e até hoje (ora isto foi em outubro) nunca mais disseram nada...devo dizer que fiquei com uma péssima opinião da empresa.nao custava enviar um mail em massa aos cerca de 30 candidatos à vaga,ou custava? torna-se desesperante,eu penso que este tipo de situações é o que torna o desemprego ainda mais desgastante...

    e ver bares,cafes e lojas a pedirem estagiários?a sério??e eu,mesmo sendo contra o trabalho não remunerado, já me ofereci para estágios voluntários na minha área,para não ficar parada enquanto procuro emprego...mas nem isso querem,quanto mais estágio profissional... uui,isto agora foi um desabafo :)

    ResponderEliminar
  7. Nem sequer consigo que pessoas da minha instituição me respondam, quanto mais...

    ResponderEliminar
  8. Ia dizer o mesmo que a DN já disse. Uma empresa pequena como essa dificilmente terá sequer um responsável de RH e porventura os emails de candidaturas vão directos para a caixa de email geral, e não haverá alguém que tenha a tarefa ou tempo para os seleccionar. Por outro lado, é estranho ainda assim que, se puseram realmente um anúncio para procurar um candidato com habilitações específicas, não estejam a fazer a selecção e a responder.

    ResponderEliminar
  9. Bem, vamos cá esclarecer uns pontos:

    Primeiro, não sei se a selecção estaria ou não a cabo de uma empresa de recrutamento, mas as respostas deveriam ser enviadas para o mail rh@nomedaempresa.pt, pelo que se depreenderia ser o dept. RH da própria empresa.

    Segundo, eu não me candidatei exactamente a uma posição de "Comercial m/f com carta de condução". Eu candidatei-me a uma posição de cientista, preferencialmente com doutoramento e especialização em drug delivery, formulation, nanoparticles e encapsulation of biopharmaceuticals, o que me parece que não daria propriamente 400 respostas. Diria até que dificilmente existirão em Portugal sequer 10 pessoas com esta especialização à procura de emprego, pelo que mesmo que recebessem mais candidaturas, talvez fosse de bom tom responder a quem mostra no currículo ter o nome em 5 artigos científicos nesta área.

    Por fim, quando me candidatei a uma posição de formulation scientist na Medimmune, uma multinacional sediada em Cambridge, dois dias depois ligaram-me, uma semana depois estava lá a ter entrevista. Não acredito que a Medimmune tenha menos candidaturas que uma pequena farmaceutica em odivelas de que ninguém ouviu falar. E quem diz Medimmune diz Merck.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pronto, com este esclarecimento o meu comentário não se aplica.

      Eliminar
  10. Quando estive em PT uns meses aconteceu-me o mesmo. Houve uma delas deopis de 3 entrevistas ao longo de varios meses, em que os entrevistadores chegavam atrasados, ou faziam-me esperar 2 horas na sala de espera so para testar se eu ficava, ou mesmo esqueciam-se da entrevista e remarcavam, que me dizerem que sim, que me queriam contratar, que tinha todas as qualificacoes e ate a mais, so ainda nao sabiam la muito bem como iam financiar a minha posicao e portanto teria que ser contratada por 2 departamentos a financiar o meu salario e ela, directora desse departamente, tinha que negociar a minha partilha com o director do outro departamento e blablablabla e que entraria em contacto em breve. Passado 9 (NOVE) semanas escrevi:

    "Cara fulaninha de tal,

    Agradecia informacoes acerca da evolucao da minha candidatura 'a posicao tal, desde a nossa ultima conversa em X do X.

    Atenciosamente,
    AEnima de tal"

    Recebi a resposta mais mal educada da minha vida, comecando com a frase, que decorei para a posteridade: "Nao sei a que processos esta habituada na America, mas em Portugal nao se escreve a forcar uma candidatura".

    Bem, e foi assim que nesse mesmo dia me candidatei 'a minha actual posicao no UK, e 2 semanas depois estava emigrar de novo. O saco so consegue encher ate um certo ponto. Depois rebenta.

    Desejo-te melhor sorte! :)

    (PS - ter voltado a emigrar foi o melhor que me aconteceu)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu não ponho de parte a hipótese, não quero mesmo é voltar para a holanda.

      Eliminar