13 de Junho de 2014

Dúvidas, dúvidas

Casar com uma blogger famosa e ir a reboque poderá ser considerado empreendedorismo?

39 comentários:

  1. Muitas histórias de sucesso empresarial começaram com um bom (?)casamento. As outras começaram com um bom nascimento. As excepções são uma margem ínfima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cala-te, as pessoas têm é falta de força de vontade e de bater punho.

      Eliminar
    2. Eu pela minha parte tenho imensa força de vontade e de bater punho, como o prova o número de vezes que já pedi a Izzie em casamento. Regra geral ela até aceita, mas um ou dois dias depois está a fazer planos de casamento com outra. Acho que vou ter de mudar de estratégia.

      Eliminar
    3. Talvez devesses lançar um livro à cerca de todas essas tentativas falhadas e dar uns workshops sobre o que as gajas andam a fazer mal.

      Eliminar
    4. Mas dou mesmo os workshops ou limito-me a anunciá-los?

      Eliminar
    5. Ó Rita, mas eu já estou apalavrada, e a bigamia é crime! Ou era, quando estudei. Mas olha que no mê coração tenho espaço para muitas espoNZas ;)

      Eliminar
    6. Rita, é conforme o que dê mais lucro e não colida com a carta profissional. Também podes contratar alguém para fazer publicidade por ti, se isso mais te convier.

      Eliminar
    7. Mas, mesmo que não seja a criatura a escrever os textos publicitários, é ele que vai receber o dinheiro... Ou seja, para mim (que não sou das leis nem conheço o código dos jornalistas ao pormenor) a questão continua a manter-se: está a receber dinheiro em troca de publicidade... Mas, lá está, isto sou eu que não sou empreendedora e tenho uma mente pequenina. E também não ando a reboque de outro blogger, a comer-lhe as migalhas...

      Eliminar
    8. Ahahahaha, vá lançar um livro à cerca, vá.

      Eliminar
    9. Obrigada pela correcção, deveria ter escrito acerca. Espero não ir parar ao inferno por isso.

      Eliminar
  2. Um dos grandes mistérios da humanidade...mas o que ela viu nele, afinal?

    ResponderEliminar
  3. Fazes-me ir ao blogue das pessoas compreender contextos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elite, é sobre o texto do arrumadinho sobre o despedimento de 140 pessoas.

      Eliminar
  4. :) Ai o que eu me ri com este post!

    ResponderEliminar
  5. O mais engraçado é que a pessoa em questão até parece ter uma carreira de sucesso, sem necessidade deste "empreendedorismo".

    ResponderEliminar
  6. Também já não é a primeira vez que me parece que na visão dele, empreendedorismo é sinônimo de ter uma rede de conhecimentos influente. E isso na minha terra tem outro nome.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem esquecer que o não há exactamente espaço no mercado para 140 pessoas se tornarem bloggers profissionais. Diria até que o nicho já está preenchido.

      Eliminar
  7. Tendo em conta a crise que Portugal atravessa, talvez fosse boa ideia aceitarem a poligamia, e deixar a Pipoca casar com todos os 140. Depois via-se quem era o marido mais empreendedor. Ou a mulher, claro.

    ResponderEliminar
  8. Chorei a rir (literalmente) com o comentário da Helena. E hoje estava precisada de uma boa gargalhada. Obrigada, sim?

    ResponderEliminar
  9. Se faz pela vida aproveita-se se fica á sombra da bananeira aproveita-se. Decidam-se lá, porque sinceramente não entendo qual o problema de aproveitar o buzz á volta do blog da mulher para puxar algum para o seu. Cada um se arranja como pode.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema de aproveitar o sucesso comercial do blog da mulher para catapultar o seu, não é absolutamente nenhum. E nem aproveitar a sorte de ter conhecimentos no seu meio profissional para ter sempre tido emprego. Já aproveitar o despedimento de 140 pessoas para escrever um texto cheio de prosápia a aconselhá-las a serem pro-activas e empreendedoras e criarem o seu próprio negócio através do blog e viverem à custa dele*, já é assim um nadica cretino.

      *a Pipoca, que é a Pipoca, e sem dúvida o maior caso de sucesso em Portugal, demorou cerca de 6 ou 7 anos a tirar lucro do blog. O Arrumadinho, por sua vez, teve sucesso instantâneo, lançou dois livros, fez workshops, etc, coisa que se não fosse o sucesso já existente da mulher lhe teria demorado uns aninhos a atingir, se atingisse de todo.

      Eliminar
  10. Só retirou isso do post dele? Eu retiro que ele diz ás pessoas que se mexam, que não fiquem de braços cruzados à espera que o telefone toque e que pode ser possivel criar o próprio emprego (diz inclusive que uns conseguem e outros não).

    Acho sinceramente que a conversa toda sobre o blog da mulher e de como é gerido é que era escusado. Mas isto sou eu que concordo com a visão de que temos que nos mexer e não baixar os braços e ficar apenas á espera que o telephone toque.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me insensibilidade e paternalismo dizer às 140 pessoas que ficaram sem emprego que devem fazer-se à vida, seguindo o seu exemplo, e que podem apostar num blog como modelo de negócio, quando o sucesso do seu blog - não falo da outra vertente profissional - não foi devido apenas a mérito próprio, mas muito devido à sorte da sua mulher já ser uma blogger reconhecida quando o criou.

      Conseguir viver do blog no mercado blogosférico. que é pequeno - somos só 10 milhões, nada a ver com os 300 milhões da américa, por exemplo, onde esse mercado é bem maior e há espaço para muito mais gente a viver do blog -, é algo reservado a muito poucos, que se contam pelos dedos.

      Disclaimer: gosto da Pipoca, que leio há coisa de 9 anos, acho que teve uma enorme inteligência no saber gerir a sua carreira enquanto blogger profissional, e esse mérito deve-se exclusivamente a ela.

      Eliminar
    2. Ah, e para que não fique a dúvida: não pretendi afirmar que vivia às custas dela, mas que o sucesso comercial do seu blog se devia em grande ao sucesso do dela.

      Eliminar
  11. Ele tem muita razão no que diz. Foi um texto diferente no meio de tantos textos iguais. Todos validos. No entanto, é sempre bom haver uma visão diferente. Uma visão com luz e não apenas "muros de lamentações" Dizemos-nos com uma mente tão aberta e na volta estamos enganados. Reagimos logo negativamente, sem reflectir, a um simples texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Susana, é fácil falar de barriga cheia, e foi isso que achei feio.

      Eliminar
  12. Com todo o respeito que tenho por este blog, fiquei desiludida com o post. Há um Miguel que dá murros na mesa e diz que todos os desempregados e empregados devem ser empreendedores nem que para isso se invente uma receita nova de pipocas para vender nos cinemas e toda a gente aplaude. Dá palestras acerca do assunto e toda a gente aparecee paga... O Arrumadinho dá um conselho dentro do género e é crucificado... E se anda ou não a reboque da esposa, para acho que seja desmérito. Aproveita o que de bom e mau a fama da esposa lhe traz. Não seria pouco inteligente não o fazer? Ainda há semanas este blog foi alvo de chacota numa pipoca picante, não tenho a certeza, mas acho que nesse dia, as Crónicas devem ter tido um maior número de visitas, até porque a Luna foi lá defender-se ou acrescentar lenha à foqueira.... Não terá sido também "ir a reboque" com a fama da outra, ainda que só por um dia?
    Beijinhos Luna, sou leitora assídua, não me leve a mal, mas este post era escusado.

    Cláudia Moreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Cláudia, sobre o tipo do bater punho, enfim, é um pulha cretino - logo, não aplaudo, como não aplaude quem critica esse estilo de argumenação, pessoas essas que também se indignaram com o texto do arrumadinho, que talvez não tivesse sido tão mal recebido se não fosse o timing em que foi escrito, que coincidiu com um despedimento em massa.

      Curiosamente, o ataque desse blog não me subiu as visitas - subiram como sobem sempre que escrevo mais assiduamente, o que aconteceu nesse periodo, num blog com público regular que se mantêm há anos. O contrário sim, ocorreu, as visitas a esse blog triplicaram nesse dia, chegando ao top nacional pela primeira vez - coisa que não saberia se não se tivesse gabado no blog - o que revela muito sobre quem foi a reboque da "fama" de quem.

      Eliminar
    2. Luna,
      Só uma correcção. Não foi pela primeira vez. Já lá tinha estado. Por mais que uma vez, até.
      (suponho que se refira à primeira página do blogómetro, não sei o que é isso de top nacional)
      Não sei se lhe deverei agradecer, ter beneficiado da sua fama, para lá chegar? Eventualmente terei também beneficiado da fama da Filipa, NM, Xaxia, Sexinho, Palmier e Mirone, já que foram elas que escreveram os posts. Não sei, mas é uma hipótese.

      Pulha? Cretino? Isso não serão injurias? Ainda piores que parva?

      Eliminar
    3. Picante,
      O blogómetro, que saiba, faz a lista do top nacional de blogs, e limitei-me a responder à Cláudia - que me parece ter comentado de boa fé - sobre quem beneficiou com quem, e que não fui eu, certamente.
      De resto, não vou repisar um assunto que já foi (e continua a ser) repisado até à exaustão.

      Eliminar
    4. p.s. e se quiser mesmo discutir o assunto comigo, tem à disposição o meu email (embora nos próximos tempos não garante disponibilidade para responder, mas fá-lo-ei assim que possa), mas aqui, no more.

      Eliminar
    5. Está a dizer-me que não deverei tornar a comentar aqui? Apesar de sempre lhe ter respondido com educação?
      É isso? Percebi bem?

      Eliminar
    6. Não, estou a dizer-lhe que eu, pessoalmente, não voltarei a repisar mais esse assunto neste blog (e nem no seu).

      Eliminar
    7. OK. Acho que podemos concordar nisso.
      (peço então desculpa pelo equívoco e fico contente que assim seja, sem ironia, que não a estava a ver nesse papel)

      Eliminar