6 de outubro de 2014

Ironias pós férias

O autor do segundo* blog mais sexista da blogosfera explicar condescendentemente às feministas o que é o básico do feminismo, caso elas nunca se tivessem apercebido.

(não sei o que é a velha guarda, mas as que conheço informadas e lidas, pensam no assunto há muito tempo e a nenhuma é estranho o tópico, que é discutido com regularidade na literatura sobre igualdade)


*o primeiro é escrito por uma mulher.

17 comentários:

  1. E que o básico do feminismo não passa por ter uma vagina ou odiar o pénis. Caramba, juro que não sabia.

    ResponderEliminar
  2. O segundo?!!! Como, o segundo?

    (detesto ser o segundo no que quer que seja...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. és tu? Não me digas que foi por causa da Emma Watson...

      Eliminar
    2. Caro Pipoco, lamento, mas para chegar àquele nível as crenças teriam de ultrapassar o boneco.

      Eliminar
  3. Às vezes penso que em sendo seres sociais, seremos também, pelo menos em parte, invariavelmente sexistas.
    E quanto disso é bom ou mau.

    ResponderEliminar
  4. E agora um pouco mais a sério, Luna, se o básico do feminismo está no discurso da Emma Watson, há alguma razão para o movimento não pegar naquele argumentário e ter um discurso saudavelmente eficaz, em vez de continuarem a aborrecer as pessoas e a não chegar a lado nenhum?

    (é que até eu, um bárbaro condescendente, percebi tudo o que a Emma disse, apesar de o meu lado sexista me aconselhar a desligar do que a Emma dizia e me focar naquilo que realmente interessava)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (ó eu aqui mortinha por saber o que realmente interessava. seria a cotação do croissant em Tóquio?)

      Eliminar
    2. Caro pipoco, o básico está lá, na palavra mais repetida durante o discurso, e que concentra em si todos os conceitos base do feminismo: igualdade.
      Durante toda a primeira parte do discurso cita exemplos de desigualdade regularmente referidos aqui e noutros locais por "feministas da velha guarda" - whatever that means -, sejam desigualdades salariais a esteotipos de género, que levam a avaliações diferentes de carácter perante a mesma característica, etc.
      Pena é que tenha sido necessário chamar a atenção da desigualdade também relativamente ao sexo masculino como consequência do sexismo para achar o discurso eficaz, em vez de apenas aborrecer as pessoas, como quando se denunciam situações que afectam principalmente as mulheres.

      Eliminar
    3. 'Pena é que tenha sido necessário chamar a atenção da desigualdade também relativamente ao sexo masculino como consequência do sexismo para achar o discurso eficaz, em vez de apenas aborrecer as pessoas, como quando se denunciam situações que afectam principalmente as mulheres.'

      Está tudo dito, Luna. Clássico: 'What about teh menz?!'

      Eliminar
  5. Sou apologista de que se regresse à prática de se esfregar pimenta na boca quando se diz asneiras. Com vigor e veemência quando se invocam conceitos acerca dos quais se desconhece o básico.
    (Sou feminista e nunca queimei soutiens. De resto, em Portugal nunca ninguém os queimou. Mas confesso que já deitei alguns fora. Devo ser da velha guarda).

    ResponderEliminar
  6. Agora vou querer saber quem são os bloguers. Óvio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui o caro Pipoco já se acusou. ;)

      Eliminar
  7. Outro dia também li uma frase de uma feminista nova que me pareceu comunicar desta forma mais eficaz e cordial, sem dizer que todo e qualquer homem é um opressor nem que o pénis é a fonte de todos os males como as outras. Vou partilhar convosco: "It is for man to establish the reign of liberty in the midst of the world of the given. To gain the supreme victory, it is necessary, for one thing, that by and through their natural differentiation men and women unequivocally affirm their brotherhood."

    Chamava-se Simone já não sei o quê, agora não me ocorre o apelido, era um nome estrangeiro e então escapou-se-me.

    ResponderEliminar