6 de outubro de 2009

Gaivota


Não há uma vez que o ouça que não me venham lágrimas aos olhos. Era o fado preferido da minha mãe. Também. Ou talvez por isso.

8 comentários:

  1. Eu gosto muito. Muito mesmo. Até porque me lembra a minha mãe. Acho que são as maçãs do rosto... bom mas isso é outra conversa.

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito, pela voz, pela letra, pela sobriedade dos sentimentos que transpira...

    ResponderEliminar
  3. acho que todos nós temos um fado que nos faz vir as lágrimas aos olhos...

    ResponderEliminar
  4. Sim, e lágrimas não querem dizer só tristeza...

    Bj

    ResponderEliminar
  5. ui...isso é aquilo da saudade emigrante....não é? ;D

    JG:

    ResponderEliminar
  6. Não sei o que fizeste ao blogue, mas agora, a cada três vezes que publicas, chega-me um 'alerta do Google' por e-mail...

    ResponderEliminar
  7. Mas vê as tuas definições de subscrição de feeds please. Eu não fiz mesmo nada nesse sentido, só mexi mesmo no cenário.

    ResponderEliminar