16 de janeiro de 2013

Pergunto-me

Aquelas pessoas que criticam o Mário Soares por ter ido para um hospital privado, podendo pagar, prefeririam portanto que ele tivesse ido para o público e estivesse a gastar o dinheiro dos contribuintes, certo? Estou só a tentar perceber.

37 comentários:

  1. Mas há gente a criticá-lo por isso? Esta é nova...não sei o que se passa com este Povo. A crise não pode ser desculpa para estupificar.

    ResponderEliminar
  2. Mas houve criticas dessas?
    Acho que faz todo o sentido... até porque com a publicidade que o Hospital arranjou (com os directos à porta e tudo) acho pouco provável que ele tenha que pagar alguma coisa...

    ResponderEliminar
  3. Oh, por amor de Deus. Mas agora tudo serve para implicarem?! O problema dessa gente, acho apenas q é inveja de não poderem pagar coisa q gostariam de poder. É q não podem ver nada!

    ResponderEliminar
  4. É que é mesmo isso. Gente sem noção pá!

    ResponderEliminar
  5. Eu nem sabia que ele estava num Privado.
    Mas se ele fosse mesmo mesmo mesmo mesmooooo um valente, tinha ido para um público, para ver como elas mordem.

    ResponderEliminar
  6. Quando alguém vai a um hospital privado, não significa que pague tudo do seu bolso. Existem comparticipações que vêm do dito SNS. Por isso, sim, o Mário Soares está a gastar dinheiro dos contribuintes indo para o privado...

    Além disso, isto pode por em causa o SNS. Se os hospitais privados conseguem fazer o serviço do público, então será que o público é necessário? Certamente que é, pois os hospitais privados focam-se sobretudo nos serviços de saúde com maior rentabilidade. E não é desconhecido de ninguém que o SNS acode muita gente vinda dos privados que não conseguem resolver casos mais complicados...

    ResponderEliminar
  7. Acho que as pessoas preferiam que ele ficasse em casa ou, melhor, morresse durante o sono, sem dar despesa nem trabalho.

    (não sei se o senhor tem seguro de saúde, mas quem tem adse pode ter acesso a tratamentos comparticipados no hospital da luz. um colega meu ainda pagou uma conta calada, que a comparticipação era só de 90%. ah, e numa urgência, eu não ia para a luz, já são dois casos que tenho conhecimento da necessidade de repetirem cirurgias, que à primeira não ficou bem. 'tá bem abelha, parecem desculpas de mecânico.)

    ResponderEliminar
  8. Eu também nao sei, mas acho que o pessoal anda um bocado desocupado.

    ResponderEliminar
  9. Luna,
    É uma questão de coerência.
    Muita gente de direita defende um sistema em que toda a saúde é privada e os cidadãos são obrigados a ter um seguro de saúde. Quem não o pode pagar, é ajudado pelo Estado. Isto permite, entre outras coisas, que as pessoas possam escolher o médico e o local onde são assistidos.
    O Mário Soares é um político de esquerda, cuja ideologia é defender o serviço público de qualidade para todos, etc. Defende tudo isto, mas quando lhe toca a ele prefere ter a opção de escolha e escolher... o privado. Mas com as suas ideias não quer permitir que os outros também possam fazer esta escolha.
    Não vou entrar na discussão de quem tem razão, mas o facto é este.

    ResponderEliminar
  10. Su, se vamos por aí, peguem já agora no facto de o Mário Soares ser dono de um colégio privado. Falta de assunto, pá.

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. Eu pergunto-me se

    Noticia headline de Domingo: "Mario Soares está bem"
    Noticia headline de segunda: "Mário Soares está melhor"

    o que é melhor que bem para alguém com 88 anos? O homem está muito bem, e continua no hospital?

    ;-)

    ResponderEliminar
  13. Shadow, então mas porque está melhor, não pode precisar de lá ficar?

    A avó de uma amiga minha tbm esteve no hospital semanas e, qd lhe perguntava cm ela estava, a resposta era: agr está bem, tá melhorzinha. Mas ficou lá pq precisava de ser vigiada mais tempo.

    Poderá ser o caso...

    ResponderEliminar
  14. Eu cá não critico, nem me irrita nada.
    Só sorri quando vi (pela primeira vez) a notícia na TV, e ao meu lado tinha uma senhora aflitíssima. A essa senhora, com quem tenho confiança e tolerância, só disse:
    - “Deixe lá. De certeza que lhe deram logo a pulseira laranja, e só ficou meia hora no corredor das urgências, a apanhar soro, à espera que o chamassem. Desde que os dois senhores que estão com ele na enfermaria não tenham nada mais grave ainda, ele safa-se. Afinal, é novo e nestas idades problemas respiratórios são sempre fáceis de resolver”
    (alindei o discurso porque estou no blog da Luna ☺ )
    De resto, o senhor que fique onde quiser. Quem tem a possibilidade de escolher que escolha.

    ResponderEliminar
  15. Interessante é ele ter sempre defendido o "público" e ter ido para um privado ...assim como assim há coisas que me preocupam mais :-)

    ResponderEliminar
  16. off topic, but funny:

    http://informacao.canalsuperior.pt/sala-geek/14683#a2

    ResponderEliminar
  17. Posso estar enganada mas ele supostamente também é/foi contribuinte. Recebe a reforma que ele recebe é porque supostamente descontou na altura que "trabalhava" para o país. Logo é igual aos outros no entanto a reforma não igual ao do meu avó de certeza. Pode muito bem pagar o hospital, no entanto não lhe fazia mal nenhum estar num corredor à espera que os enfermeiros tenho vagar para ver o que ele tem e dar-lhe toda atenção que merece. Com isto não estou a criticar, mas são esses "meninos" que podem modificar os sistemas implantados porque tem "poder" para tal.
    Se todos os ministros/presidentes fossem tratados com quem eles governam quase de certeza que algumas coisas mudavam.
    Isto é a minha opinião.

    ResponderEliminar
  18. Izzie,
    Por mim, é mesmo de pegar pelo facto dele ter um colégio privado.
    Eu não discuti assunto nemhum, só vi este post e achei por bem dar a minha opinião.
    De qualquer forma, eu sou formada em Ciência Politica e a fazer um doutoramento na área. Independentemente do lado popularucho da discussão, este para mim é um assunto. É o meu trabalho.

    ResponderEliminar
  19. Tudo bem, mas não me recordo, em toda a minha vida, de alguma vez ter ouvido o Bochechas a pronunciar-se quanto à coexistência de um serviço público e um privado, no sentido de abolir este último e, como disse a Su, impedir as pessoas de escolher. Antes pelo contrário. O facto de se defender o sistema público de ensino ou de saúde não implica necessariamente querer abolir o privado. Isso é o que defendem pessoas um nadinha mais à esquerda do Soares.

    ResponderEliminar
  20. Bem, Izzie, ia agora responder o que tu respondeste.

    Pessoas: defender a existência de um sistema nacional de saúde público serve para garantir que toda a gente tenha acesso a tratamento médico e hospitalar, independentemente de ter ou não como pagar. Não serve para obrigar quem tem como pagar e quer pagar tratamento privado a ter de se servir do público. Penso eu de que.

    ResponderEliminar
  21. A mesma coisa com a educaçao: eu andei num colégio privado com uma mensalidade não assim tao baixa, e defendo o ensino público. Isto porque acredito que toda a gente deva ter acesso à educação, independentemente do nível económico dos seus pais. Quem tem como pagar, epá, por mim até pode por os filhos num colégio na suiça, mas quem nao tem, deve pelo menos poder contar com o estado para garantir a educaçao dos filhos, nao?

    ResponderEliminar
  22. Exacto, Luna, o privado é complementar. Quem quer, vai, paga, e pronto! Não fica é isento de contribuir para o público, como já ouvi algumas pessoas (de direita...) defender. A essas pessoas tenho vontade de responder 'tomara que nunca tenhas de fazer quimio, que se acaba o plafond do seguro num instante, e depois já é ai jesus o SNS'. Mas enfim.

    ResponderEliminar
  23. Portanto, para ti defender os animais e comer carne é hipocrisia, mas ser fundador de um partido que se diz socialista e na hora h optar pelo privado já é coerência.

    ResponderEliminar
  24. Julie, já respondi a essa questão nos comentários anteriores. Acho que mais clara nao posso ser.

    ResponderEliminar
  25. Ah, Julie: e eu nao acho hipócrita comer carne e defender os direitos dos animais. Acho hipócrita considerá-los iguais aos humanos em termos desses direitos.

    ResponderEliminar
  26. sabes como são [muitas] as pessoas. Vão sempre criticar, mesmo quando não há razão para isso ou quando o assunto em questão não lhes podia fazer menos diferença.

    ResponderEliminar
  27. Acho que a maior incoerencia 'e quando se cria um SNS e ao longo dos anos a qualidade desses sistema se deteriora ao ponto de se ter de criar alternativas privadas que tenham melhor qualidade (pois a qualidade, paga-se). A outra incoerencia 'e que o contribuinte acabe por pagar verbas que sustentem hospitais ou servicos de saude privados.
    A incoerencia disto tudo e' que a ideia dum estado social, proclamada por partidos como aqueles existentes em Portugal, e' a de fornecer um bom sistema de saude a qualquer cidadao (evitando assim a escolha dificil de se ter de recorrer ao privado e isso so estar restrito a quem pode). E' incoerente porque prega-se igualdade de acesso ao suposto servico bom e verifica-se que isso nao existe (pois a parca qalidade e' clamada pela populacao em geral que o frequenta).

    ResponderEliminar
  28. Eu nem sabia que ele estava a ser criticado. Mas o problema dele é ser um incoerente gigantesco. É um ladrão que incita à revolta quando ele próprio está a mamr reformas até não poder mais e com que dinheiro? O dos contribuintes. Ele que fique bons tempos no hospital, que pague bem, pode ser que lhe caia à ficha, ou então não que burro velho não aprende línguas!

    ResponderEliminar
  29. E zás, a Andie, que pelo perfil nem tem nada que ver com ciência política, é que levantou uma boa questão, e que é a de, atendendo à actual crise de financiamento de SNS e do ensino (a troika acha que temos 50.000 profs a mais!), ou mesmo que não houvesse crise, que o Estado contribua (com o nosso dinheiro) para sistemas privados de saúde e ensino. E se o custo-benefício desse financiamento, aliado aos benefícios fiscais que já se concedem a quem recorre a sistemas privados, se justifica. O verdadeiro busílis é este. O Estado paga mais do que aquilo que beneficia com o facto de não ter de prestar o mesmo serviço no público? Pois, nunca vi nenhum explicar isto.

    ResponderEliminar
  30. As pessoas adoram criticar... Mesmo sem pensar um segundo sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  31. É malta muito, muito, muito comuna? Tão comuna quanto os seus BMW'S?

    (vou-me calar, já pari no público a custo de zero euros e já pari no privado a custo de seis mil euros oh lá lá)

    ResponderEliminar
  32. Luna, hoje fui ao Corte Inglés com um amigo, o qual se revoltou imenso quando viu vestidos Ralph Lauren a 350 euros. Muito indignado, dizia que é uma estupidez haver roupa desses preços, bla bla bla. E eu pensava, mas e então quem quer e pode pagar, tem de comprar na H&M como os pobres mortais?

    ResponderEliminar
  33. Nos últimos tempos, os portugueses parecem não ter coisas suficientes para se preocuparem. Não faz sentido nenhum criticar o senhor. Qual é o problema de ter ido para um hospital privado? Assim não ocupa lugar no SNS, sempre é uma cama livre para quem precise do SNS.

    ResponderEliminar
  34. Acho que as pessoas basicamente só querem dizer mal. De TUDO!

    ResponderEliminar
  35. Esta malta anda muito revoltada.... mas canalizam tudo nos sitios errados. Era melhor ir para o publico onde, evidentemente, não ia estar 6 horas à espera num corredor junto com a plebe, e tirar ainda mais um lugar aos desgraçados que lá estão e não podem pagar o Hospital da Luz. Era uma afronta era ir para Santa Maria tirar a vez dos outros, quanto a mim!

    ResponderEliminar