23 de julho de 2014

Sabem aquela coisa da publicidade encapotada?

"Esta iniciativa consiste em colocar um link do nosso cliente (grupo XXXXX que opera no mercado de jogos online) no artigo a publicar no seu site. 

Este artigo tem que permanecer activo por, pelo menos, 12 meses (sem necessidade de ficar na página principal ou de ter qualquer tipo de destaque). 

O link que segue no artigo tem que ser “follow” e o artigo nao pode ter qualquer referencia a post patrocinado, publipost, guest post, post convidado, post pago, patrocinado, publieditorial ou semelhante."


Excerto de um mail recebido hoje.

29 comentários:

  1. Luna, recebi o mesmo mail (pelo menos este excerto é igual) há relativamente pouco tempo e também resolvi fazer um post (24.Junho) com a parte final. Aquela a partir do "follow". Lá está, a tal história da publicidade encapotada. A pessoa em questão pedia uma resposta breve, dizia-me quanto é que pagavam e por aí fora, eu resolvi responder via post. Está feito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu respondi a dizer que não colaborava com publicidade encapotada. Não que necessariamente viesse a aceitar a proposta de outra forma, mas assim não mesmo. Confesso que serei um pouco ingénua, porque fiquei chocada com a condição posta, mas muita coisa fica explicada.

      Eliminar
  2. Eles "andem aí"... Até eu já recebi um e-mail desses.

    "

    (...)

    Actualmente estamos a trabalhar numa campanha para um cliente de prestígio na Europa que tem interesse em publicar um artigo no seu site, podendo, assim, melhorar também o seu posicionamento online.



    Nós produzimos os artigos (nunca repetimos nenhum para nenhum outro site) através de uma equipa especializada de escritores, mas também pode escrever o seu próprio artigo se preferir.



    Esta iniciativa consiste em colocar um link dos nossos clientes no artigo a publicar no seu site. Este artigo tem que permanecer activo por, pelo menos, 12 meses (sem necessidade de ficar na página principal).



    Pagamos por essa publicacao cerca de 70€/R$250 através de Paypal e os valores sao negociáveis, mediante interesse do cliente e condicoes.

    (...) "

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o mesmo mail, tal qual. Também acho graça à parte de oferecerem 70 aérios por um ano de publicidade no blog, são muito cómicos.

      Eliminar
    2. Nem perguntei, mas suponho que o pagamento seja feito um ano após a publicação (para terem a certeza de que o post não é retirado antes do tempo). Devem pagar, devem...

      Eliminar
  3. Luna, não acredito que não soubesse que isto é prática corrente. o valor oferecido depende dos views do blog, uma Mais Doce, por exemplo receberá muito mais.
    Acho isto tão mau como as ofertas, seja em género ou estadias, em que depois as pessoas escrevem uns textos fantásticos a dizer que aquilo é o máximo com 1500 fotografias que nunca poriam, num post normal. Nada contra a publicidade e rentabilização do blog, atenção. Tudo contra tentar fazer os outros de otários.

    (e isto lembra-me que me pediram para divulgar uma peça de teatro solidária, vou fazer um post...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que o valor oferecido a uma pipoca pode chegar aos mil euros por post, mas nem é isso que estava em causa. Obviamente sabia que havia muita pub encapotada em blogs, mas pensei mais que fosse por negligencia do que uma condição à priori. Fico assim a saber que não.

      p.s. já fiz publicidade a um local depois de me terem oferecido a estadia, mas deixei isso bem claro no post que escrevi. (o sítio era de facto lindíssimo)

      p.s.2. tb me pedem para divulgar espectáculos, ainda recentemente, e irei faze-lo: não me chateia particularmente divulgar cultura, e faço-o gratuitamente, tal como divulgo projectos de amigos, etc. (já várias vezes me ofereceram bilhetes em troca mas nunca usufrui dessa oferta, embora já tenha sorteado dois bilhetes no blog)

      Eliminar
    2. Eu lembro-me do seu post. E achei uma atitude honesta, a sua.

      Eliminar
    3. Creio er sido a única vez que fiz publicidade propriamente dita e a condição passava por dizer que era publicidade. Não acho mal que se faça publicidade num blog, é uma opção editorial como qualquer outra, desde que seja assinalada e não se tomem os leitores por parvos. Não estou dentro do aspecto legal da coisa, mas creio que publicidade não assinalada não será exactamente legal.

      De resto, publicidade encapotada é algo que tenho vindo a criticar de forma mais ou menos explícita, ou de forma mais sarcástica, como aconteceu aquando da oferta de samsungs diva a tudo o quanto era bloggers, que de repente começaram todas a falar do telefone (horroroso, por sinal), e que levou muita gente honestamente a pensar (até hoje) que eu fiquei mesmo muito chateada por não ter recebido um (por ser uma grandessíssima invejosa), e que se tornou uma espécie de private joke recorrente.

      Eliminar
  4. Negligência da Pipoca? Ainda para mais, depois de super chamada à atenção? Nunca. Sempre percebi que seria uma coisa deste género. Também me surpreende que a Luna não soubesse (atenção que isto é um elogio à sua inteligência!).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achei que poderia haver uma sugestão, não pensei é que fosse tão expressamente proibida a "referencia a post patrocinado, publipost, guest post, post convidado, post pago, patrocinado, publieditorial ou semelhante" pela parte anunciante.

      Eliminar
    2. Pois, e eu acho que a situação devia ser denunciada a alguma entidade reguladora. Porque existe uma lei de publicidade que esses senhores querem - e há provas - infringir.

      Eliminar
    3. Pois, mas não faço mesmo ideia de como isso funciona.

      Eliminar
    4. E já agora, em mim o efeito desse tipo de publicidade é o oposto ao pretendido, porque me faz torcer o nariz às marcas que usam este tipo de divulgação.

      Eliminar
    5. Epá, isso da denúncia, um dia que fiquei muito irritada fui pesquisar e desisti, uma trabalheira monstruosa. Do que me lembro, tinha de escrever para o Instituto do Consumidor - cujo site é um autêntico labirinto, já agora, o site da asae é uma coisa bem feitinha, e permite denúncias por aquela via, bem mais eficaz.

      Eliminar
    6. Existe uma coisa chamada código da publicidade (não sei se é um código específico, se está inserido noutro código qualquer, de direito, talvez o comercial, mas não sei). E existe também uma associação, que agora me falha o nome, e que rege uma enormidade de assuntos relativos à publicidade. Os associados são os anunciantes, não o público em geral, mas bastará fazer uma denuncia à concorrência. Mas creio que o caminho para a queixa é via Instituto do Consumidor. Agora que +é ilegal, não tenho a menor dúvida, o consumidor tem o direito de saber que aquilo é publicidade, seja em formato de anuncio tradicional, seja em formato publireportagem.

      Eliminar
    7. Eu acho que o problema principal é que este tipo de denuncias não se pode dirigir a propostas oferecidas, mas relativamente a casos existentes. Eu não sou exactamente um agente de autoridade a quem foi oferecido um suborno, sou apenas uma blogger a quem foi oferecida uma oportunidade de ganhar 70€ por fazer um post publicitário sem o assinalar como tal. Não sei até que ponto isto dará azo a um processo caso faça queixa...

      Eliminar
  5. Até eu já recebi isso.
    O que diz muito sobre o poder de selecção desses senhores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, mas não seria perfeitamente plausível fazermos posts nos nossos blogs sobre casinos online da nossa livre autoria?

      Eliminar
    2. Eu faço tudo! Preciso de dinheiro! Sou uma putinha blogosférica!

      Eliminar
  6. Olha eu sou completamente contra a publicidade encapotada, aliás sempre que fiz publicidade patrocinada, fiz referência. Quando falo de produtos ou serviços por minha conta e risco, não faço essa referência, E fico mesmo aborrecida quando me acusam de o fazer, sem estar a fazer. Quanto a este género de pedidos, é lixo com eles, nem percebo como é que alguém alinha numa coisa destas, é completamente desonesto.

    ResponderEliminar
  7. Como nunca recebi um mail deste género, não sabia como é que isto funcionava, mas já me tinha passado pela cabeça que alguns blogues anunciavam demasiadas coisas "maravilhosas". O que eu pensava era que lhes eram oferecidas as coisas (produtos ou estadias, ou o que fosse) e eles depois falavam delas, já que tinham gostado. Não fazia ideia era que também recebessem dinheiro para isso, fazendo a tal publicidade encapotada (expressão que desconhecia até a momento). E a proibição dos tais termos é vergonhosa, realmente!

    ResponderEliminar
  8. Tanta preocupação e tanto secretismo para depois qualquer pessoa conseguir perceber a léguas quando um post foi patrocinado ou não. Fazer propostas de negócio e pôr o blog a render não tem nada de mal, partir do princípio que o autor e os leitores são todos estúpidos já é outra história.

    ResponderEliminar
  9. Será que não valeria a pena apresentar uma queixa junto do Instituto Civil da Autodisciplina da Comunicação Empresarial? O processo para apresentar a queixa não é complexo...

    ResponderEliminar
  10. Os jornalistas (com carteira) que sejam bloggers em simultâneo, e que fazem publicidades (encapotada ou não), não estarão a ir contra um código de ética ou deontológico qualquer?
    Sempre tive essa ideia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. Se não escrevem no blogue enquanto jornalistas, claro que não. :)

      Eliminar
  11. Também me saiu este na rifa.
    Foi com os cães, evidentemente, e ainda se atreveu a responder-me, grunhindo qualquer coisa que me soou a és-uma-mal-agradecida-tomaram-muitas-e-tal.

    ResponderEliminar