5 de novembro de 2014

Já vou tarde, mas

Agora de repente lembrei-me, lá o Saraiva das idílicas condições de vida das mulheres do antigamente, que bordavam e tomavam chá, nunca leu o Levantado do Chão, pois não?

10 comentários:

  1. Não... quanto muito alguém (a mãe ou assim) leu, em voz alta, para ele... mas não deve ter prestado muita atenção (os homens e o multi-tasking... já se sabem como são).

    ResponderEliminar
  2. Lembrei-me logo do mesmo: a grande maioria das mulheres portuguesas não eram donas de casa, eram trabalhadoras rurais, em propriedade própria ou alheia, trabalhadoras domésticas e por aí fora. Na aldeia inteira da minha avó devia haver umas quatro donas de casa. É a história do costume: para além dos motivos para glorificar o passado serem suspeitos, na maioria dos casos vai-se a ver e o dito cujo passado não confere.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou melhor, confere: numa classe média-alta ou alta, que continua a não ter esses problemas.

      Eliminar
    2. De resto, aquela pergunta de se as mulheres são mais felizes agora? Pelo menos passam menos fome.

      Eliminar
    3. Tem graça - ou não - quando se fala dos antigamentes, a minha avó tem uma expressão recorrente: "havia muita fominha". Felizmente ela não passou por isso, mas passou por outras que hoje, felizmente, muitas mulheres não têm de aguentar. Se calhar é por isso que me fiz feminista, e a minha mãe também. (e já se sabe, quem sai aos seus, Genebra)

      Eliminar
  3. E, definitivamente, nunca leu (nem folheou ou esfolheou) o "As Mulheres do Meus País" de Maria Lamas. Aí teria, por exemplo, encontrado fotografias de miúdas de 14 ou 15 anos na geração da mãe dele a emanar felicidade enquanto trabalhavam descalças nas minas de São Pedro da Cova.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encantador não digo, mas gostava de ter esse livro!

      Eliminar
    2. Oi, outra a querer o livro. Se alguém souber onde se arranja, alvíssaras.

      Eliminar
    3. Também gostava de ter um exemplar só meu em vez de consultar cópias públicos. Vão aparecendo exemplares em alfarrabistas e até em sites como o coisas, olx ou o custo justo.
      Já que, por mais voltas que dê ao meu orçamento, não vou conseguir comprá-lo tão cedo, não vale a pena continuar guardar este link só para mim: http://www.custojusto.pt/lisboa/livros/as-mulheres-do-meu-pais-maria-lamas-1948-13274278

      Eliminar